Jardins verticais para cidades

São Paulo é uma cidade desconfortável e insalubre, e a ausência de verde é fator decisivo para essa condição. Enquanto a Organização Mundial da Saúde recomenda no mínimo de 12,8 m2 de área verde por habitante em centros urbanos, a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo constatou 2,6 m2 por pessoa na cidade. Em bairros como República e Consolação, onde 95% da ocupação é por prédios, há cerca de 30 mil edifícios. A maioria deles foi construída na época em que suas laterais eram planejadas para receber outro prédio no limite, colando dois terrenos.

A lei de ocupação do solo mudou e obrigou as construções a terem um recuo mínimo, ao mesmo tempo em desapropriações deram lugar a vias para os carros. O resultado é a paisagem da região central de São Paulo atualmente: muitos prédios com paredes sem janelas, as chamadas empenas cegas.

Na região do centro expandido da cidade o Movimento90° mapeou cerca de 500 empenas cegas que correspondem a 258 mil m2 de área ociosa. Imagine: e se todas essas paredes pudessem virar áreas verdes? Acreditamos que esse espaço que é ocioso poderia ser transformado em jardins verticais para melhorar a qualidade de vida da cidade.

ed. Bonfim.jpg