Jardins Verticais

O jardim vertical, também conhecido como muro verde ou parede viva, é uma estrutura de plantas capaz de se adaptar a superfícies verticais. Por ter alta capacidade de ambientação, é pensado para permitir vivências mais saudáveis  em locais onde outros tipos de verde não seriam possíveis.

 

Estrutura

A construção do jardim vertical se baseia numa estrutura simples de placas modulares onde são instaladas as espécies vegetais. Para garantir a constante nutrição  das plantas utilizamos um sistema de irrigação automático que é controlado remotamente.

jardim vertical vetor copy.png

Etapas

passo a passo copy.png
 

 

Benefícios

 

IMG_0099_reto.JPG
 

Meio Ambiente

Melhoria na qualidade do ar

Parques verticais de muros verdes podem filtrar partículas finas e ultra-finas por meio de deposição sobre as superfícies das folhas, podendo absorver não só o dióxido de carbono, mas também partículas poluentes do ar como fumaça, poeira e também dióxido de nitrogênio em grandes quantidades.

 

conforto acústico

 As plantas no jardim vertical representam uma significativa barreira acústica reduzindo consideravelmente a poluição sonora de dentro do prédio, servindo como eficientes isolantes acústicos.

 

diminuição da temperatura

 Jardins verticais conseguem reduzir a temperatura na superfície onde estão instalados, assim como do entorno. Sua implementação contribui para a diminuição das ilhas de calor que se formam nos centros urbanos.

 

sustentabilidade

 Com estrutura de chapas ecológicas, os muros verdes utilizam  embalagens pós-consumo para sua construção. Além disso, sua irrigação é feita com água de reúso, que circula no jardim reaproveitando a chuva recolhida.

 

Qualidade de vida

Segundo a Organização Mundial da Saúde (2017), jardins verticais são considerados áreas verdes urbanas.  Muros verdes são capazes de trazer benefícios imediatos onde são instalados, colaborando para o aumento da biodiversidade no meio ambiente urbano e a qualidade de vida da população que vive em áreas com poucos espaços verdes.

 

 
 
 
 
 

De forma pouco controlada e com leis incapazes de orientar um crescimento organizado, nos últimos oitenta anos o Brasil observou o surgimento de imensos centros urbanos.

Esta forma de crescer, que tem suas bases no imediatismo, tanto relacionado à resolução de problemas, quanto na obtenção máxima do lucro, gerou cidades com adensamentos desproporcionais e infraestruturas ineficientes. Deflagrando lugares feios, barulhentos e poluídos. Se pararmos para criar uma imagem mental de uma metrópole, inevitavelmente ela será cinza, árida e repleta de edifícios verticais.

Em meio a este contexto, o francês Patrick Blanc com a intenção de cobrir as paredes de Paris, criou uma estrutura, capaz de sustentar e nutrir plantas em superfícies verticais, ao qual ele chamou de Mur Végétal.  Esta estrutura, que na realidade se torna um jardim, melhora a qualidade do ar; pois suas plantas filtram o CO2, soluciona problemas térmicos; tanto do edifício onde está instalada, quanto do seu entorno, pois impede que haja absorção e liberação de calor na empena, diminui de maneira dramática problemas acústicos, e em épocas de seca aumenta a umidade relativa do ar ao seu redor.

A tecnologia do jardim vertical foi introduzida por nós à realidade brasileira substituindo sua estrutura, até então de material sintético, por material reciclado tornando-a mais acessível e interessante do ponto e vista ecológico. A estrutura do Jardim Vertical pode ser fixada em qualquer parede, e no momento do plantio das espécies vegetais, surge à possibilidade de se criar uma composição com as muitas espécies aptas a viver neste ambiente.

CADA PLANTA, COM SUA COR E TEXTURA, VIRA UM ELEMENTO COMPOSITIVO NESTE GRANDE PAINEL. É POSSÍVEL CRIAR-SE PONTOS, LINHAS, PLANOS, RITMOS, TEXTURAS.

É preciso solucionar a carência de verde nas grandes cidades, onde também existe a forte presença das chamadas: empenas cegas, paredes sem janelas em prédios. Estes não lugares são catalizadores dos grandes problemas urbanos e existem na paisagem urbana como prova da consequência negativa de uma cidade que cresce sem consciência.

Por se tratar de uma questão coletiva, o Movimento 90° convida a todos a apoiar a instalação de Jardins Verticais em empenas cegas no contexto urbano. O Movimento 90º é a intenção de tornar a cidade um lugar mais agradável e habitável, através da instalação de parques verticais em empenas cegas, acreditando poder catalisar o melhor que há nos grandes centros urbanos: a relação de troca entre os tantos habitantes que aqui criam e partilham.

 

GUIL BLANCHE

Oliver-Osborne.png